Enquanto a Yahoo! erra a Google acerta

Depois do anúncio dos balanços financeiros da Yahoo! e Google, semana passada, muitos analistas tentam explicar o enorme contraste entre as duas maiores empresas de busca do mercado.
A Yahoo! obteve um faturamento de 1,67 bilhão de dólares, menos que a metade do faturamento da Google que atingiu os 3,66 bilhões. Mais uma vez a Google superou as expectativas de Wall Street reacendendo a dúvida de até quando o CEO da Yahoo!, Terry Semel, permanecerá liderando a empresa.
Esse resultado demonstra a distância entre as duas empresas, há dois anos o panorama era totalmente diferente: Ambas as empresas possuíam uma receita similar, a luta era para dominar o mercado da Internet e o mercado duvidava que uma empresa desorganizada como a Google aparentava ser, pudesse competir com uma Yahoo! dirigida por Terry Semel, um experiente executivo da industria do entretenimento que imprimiu suas mãos na cobiçada calcada da fama de Hollywood.
“A Google tem um carro de corrida. A Yahoo! um carro de passeio. A equipe da Google está sempre aprimorando seus algoritmos, não vejo nenhum caminho para a Yahoo! reduzir esse abismo rapidamente.”, declarou Stephen Arnold o autor de “The Google Legacy (O Legado da Google)”.
Então, o que houve? Uma série de fatores e decisões pessoais, dos executivos da empresa, influenciaram diretamente na disparada da Google. Muitos especialistas crêem que a maior influência para tudo que está acontecendo é: Uma aposta inteligente em publicidade e tecnologia feita pelo pessoal da Google contra uma aposta mal feita por um império da mídia que foi realizada fora dos escritórios da Yahoo!, em Santa Mônica, Califórnia, e perto da indústria de entretenimento, longe demais da Vale do Silício para garantir uma unidade nas intenções e objetivos do produto.
Segundo John Battele, autor do livro “The Search (A Busca)” e grande conhecedor da Google, a Yahoo! não se preocupou com algumas áreas chaves nos últimos anos. “Eles não revisaram e atualizaram. Pensaram que a aquisição da Overture iria resolver todos os problemas da empresa, assim falharam em implantar uma experiência de qualidade para seus usuários e anunciantes. Agora temos a consciência que isso foi um erro, além de estar provado que foi um erro de alto custo”.
Do outro lado, a Google reconheceu o potencial dos anúncios pagos por cliques cedo e implementou a tecnologia para utilizar em todas as suas ferramentas e sites de terceiros espalhados por toda a internet, além de apostar pesado na busca como meio de organizar toda a web. Os americanos realizaram 6,9 bilhões de buscas em Fevereiro e algo próximo da metade foi realizada no site da Google, segundo dados da ComScore. A Google domina o mercado de busca com 48,3% da audiência, a Yahoo! atinge 25,5% do internautas, uma pesquisa recente da Nielsen/NetRatings aponta que essa diferença chegará, até o final do ano, em 55,8% para a Google contra 20,7% da Yahoo!
As ações da Google estão cada vez mais bem cotadas, no último ano houve uma valorização de 6,1%, enquanto os papeis da Yahoo! caíram 0,6% e os da Microsoft 1.1%, como demonstram os números divulgados pela ComScore.
Não foi somente a demora da Yahoo! em reconhecer a importância da busca para os internautas – algo que parece óbvio para muitos analistas –, mas sim a falta de habilidade em transformar buscas em dólares. Até o lançamento do novo sistema de gerenciamento publicitário, o Panamá, em Fevereiro desse ano os anúncios veiculados na Yahoo! eram classificados pela relevância e não pelo valor pago pelo anunciante.
Assim a Google lidera o mercado de publicidade em busca atraindo um grande número de anunciantes que utilizam seu sistema, o AdWords. O AdSense, sistema que permite aos editores de sites ganharem dinheiro com anúncios contextuais vendidos pela Google, criou outra fonte de receita para a empresa de Moutain View.
Como a Google e a Yahoo! chegaram até aqui?
A Yahoo! foi fundada em 1995, três anos antes da Google, quando foi lançada seu diretório era alimentado por esforço humano. A Google sempre indexou suas páginas através de spiders e crawlers. Difícil de acreditar, mas a Yahoo! investiu na Google e utilizou seu sistema de busca para melhorar os resultados nas paginas da Yahoo! até o inicio de 2004 quando começou a utilizar sua própria ferramenta de busca.
Os fundadores da Google, Larry Page e Serger Brin, não tinha certeza do modelo de negócios que utilizariam quando criaram a empresa. Depois de conhecerem e negociarem com a Overture – primeiro sistema de anúncios em resultados de busca – em 2001 a Google lançou seu próprio sistema de publicidade paga por clique no inicio de 2002. A Overture até acusou a Google de infringir sua patente, mas foi tarde, pois a Google também patenteou seu sistema, a Yahoo! comprou a Overture em 2003.
Com exceção de um quadrimestre em 2003, a receita da Yahoo sempre superou a da Google, em 2005 isso mudou, a Google obteve uma receita de 1,26 bilhões de dólares contra 1.17 bilhões da Yahoo! no período, a partir daí o abismo entre as duas gigantes apenas aumentou.

Apesar de parecidas, ambas as empresas sempre tiveram diferenças culturais, comerciais e conceituais bem definidas. A Yahoo! apostou na sua experiência, a Google na inovação. Terry Semel na sua prepotência acreditou que a Google era apenas mais um “buzz” do mercado e logo cairia no esquecimento, errou. Esse erro poderá custar seu emprego, reputação e o futuro da Yahoo!

Diego Cox é Editor do Blog Reflexões Digitais e Analista de Produtos da Globo.com

Popularity: 2% [?]

4 ideias sobre “Enquanto a Yahoo! erra a Google acerta

  1. Muito boa matéria, diferenciou muito os “mundos” das empresas. E retratou os fatos da queda da Yahoo e o Crescimento da Google pelas visões das adiministrações. Muito bom, parabéns

Os comentários estão fechados.