Adwords

Interessado em fazer dinheiro anunciando no Google?

Celular

Produtos do Google para seu celular favorito ou para o iPhone? Você encontra tudo aqui!

Gmail

Considerado um dos melhores Webmails do Mundo, o Gmail não pára de inovar!

Opensocial

Tudo sobre a plataforma de aplicativos para Redes Sociais do Google!

Orkut

Tudo sobre a Rede Social do Google, a mais popular no Brasil!

Início » Geral

Como lidar com um possível monopólio da Google?

Enviado por em quarta-feira, 25 abril 20075 Comentários
As inovações da Google não páram. A recente aquisição da DoubleClick, importante agência de publicidade online, gerou muita polêmica e um certo desconforto para concorrentes também interessados na compra, como Microsoft e Yahoo!. Por um valor em torno de duas vezes maior que o do YouTube, a Google se torna o maioral nesse crescente mercado de anúncios online, não dando trela para a concorrência. Mas até que ponto isso é interessante para nós consumidores?
Tão criticada por práticas monopolistas, a Microsoft perde terreno para a comunidade livre em ritmo cada vez mais acelerado. É tão preocupante para Bill Gates, que a empresa vem fazendo o possível para barrar essa evolução. Além disso, outra decisão da empresa é parar o Google, concorrente direto em termos de serviços Web. Em uma nota oficial, a Microsoft deixou claro que, com essa aquisição, grande parte da publicidade online passa a ficar nas mãos do Google, o que leva a entender que estamos diante de um monopólio.

Abrangência

São várias as áreas nas quais a Google atua. E-mail, suíte de aplicativos para escritório online, álbum de fotos, leitor de feeds, agenda online, grupos de discussão, serviço de blog, softwares para edição de fotos, visualização do planeta por imagens de satélite, entre outros tantos. Quanto a buscas, está mais do que consolidado.

Vamos lembrar que a idéia da empresa é unir todo o conhecimento possível em um único lugar. E é o que está sendo feito, de modo ímpar e sem custos ao consumidor. São poucas as reclamações e a Google parece estar no caminho certo.

Como seria o mundo monopolizado pela Google?

Em termos de tecnologia móvel, como celulares, você teria publicidade sem incômodos. Se fosse adaptada a tecnologia AdSense para anúncios em telefones móveis, teríamos usuários satisfeitos e anunciantes mais ainda. Portabilidade seria o conceito mais explorado. Seus documentos pessoais, suas fotos, seus vídeos, seus trabalhos, suas anotações e muito mais com você aonde você estiver. Esta já é uma realidade, mas estaria mais acessível ainda.

Além de dispositivos móveis, o conceito de publicidade cresceria e seria mais expandido em video-games, por exemplo. Seria um novo nicho atingido por anunciantes que conseguiriam divulgar mais eficientemente seus produtos, direcionando ainda mais o mercado de publicidade.

O AdSense já teve suas primeiras experiências de teste com rádio, outra área importantíssima na história da telecomunicação. Levar os anunciantes até emissoras de rádio é um aumento considerável do leque de abrangência do programa de propagandas. É um dos meios de comunicação mais presentes no mundo, tanto no interior quanto nas cidades. E igualmente no caso da televisão que, ao receber AdSense, poderá explorar das mesmas técnicas do tradicional sistema de anúncios na Internet. Em ambos os casos, rádio e televisão, teríamos o atingimento de novos públicos, pessoas que não estão tão inseridas na era da Internet.

Espaço incrível em tudo que você precisar fazer. Talvez os problemas de armazenagem de dados teriam seu fim com o domínio da Google. A transferência destes dados teria novidades mais portáveis e viveríamos quase que constantemente conectados à grande rede.

Quanto a Sistema Operacional, teríamos uma maior utilização de Unix e mais possibilidades de escolha, sem manipulação. Softwares livres poderiam crescer mais ainda e colaboração seria a palavra-chave na Internet. Você não teria que pagar para utilizar absolutamente nada, desde que colabore para o crescimento das ferramentas já existentes.

São apenas suposições, mas as chances de serem verdade um dia, são grandes.

Faz bem ao consumidor?

Existem visões diferentes em relação a isso. Alguns temem uma revolta por parte da Google, como cobranças para utilização dos serviços ou ataques traiçoeiros, chegando ao cúmulo de crer numa “dominação mundial”. Outros estão bastante contentes que confiam tudo aos servidores da empresa, de “olhos fechados”. O ideal, porém, é um meio termo entre esses extremos. Aqui entra a questão da análise, sempre muito importante.

Confiar tudo à Google é uma atitude arriscada. Alguém pode roubar sua senha e ter acesso a tudo que é seu, ou então, você pode sofrer graves conseqüências se a empresa passar a cobrar pelo uso dos serviços. Em contrapartida, fechar os olhos para as inovações da Google é como não entrar na era digital. São tantas as vantagens, que precisamos desfrutá-las ao máximo. Quando alguma novidade é lançada, geralmente chega para mudar conceitos e trazer inovações.

Devemos estabelecer limites para encontrar o equilíbrio correto. Não é só a Google que oferece serviços bons, apesar de liderar diversos ramos em que atua. Precisamos de auto-controle para decidir por conta própria o que é melhor e mais seguro para ser utilizado, além do custo-benefício, que deve ser levado em conta sempre. Um monopólio sempre tem características ruins, mas ao mesmo tempo oferece atrativos incríveis. Cabe a nós a análise decisiva.


Positiva ou negativa: como você imagina que seria uma dominação por parte da Google?


Daniel Fernando Pigatto cursa bacharelado em Ciência da Computação na Universidade Regional Integrada de Erechim/RS, reside na mesma cidade e é editor de dois blogs: Ponto Flutuante – página pessoal, com artigos de classificação geral; e Wekta – página colaborativa voltada ao underground da tecnologia.

Popularity: 2% [?]

Fernando Kanarski Google AdWords Certified Partner, atualmente é Analista de Novas Mídias na HouseCricket , onde é responsável por Search Marketing e WebAnalytics.

5 Comentários »