A Google pode falir?

Qualquer fã do Google certamente repudiaria este título, e diria que a Google passará em algum tempo a Microsoft, tornando-se um “monopólio do bem”, oferecendo desde buscas à sistema operacional. Tudo sempre gratuito.
Bem, acima de fãs assumidos do Google, temos que ser imparciais e realistas. E pensando com cuidado nos caminhos que a gigante está trilhando, podemos colocar a supremacia da empresa facilmente em xeque.

Sim, este texto é um pouco comprido, mas se você quer conhecer um pouco mais sobre a Google e discutir com nossos usuários no final do post, não deixe de ler até o final… =)

De onde vem o dinheiro do Google?

O Google, desde o início, foi criado para servir aos usuários, e não para fazer dinheiro. Esse importante foco, junto à obsessão dos criadores de terem uma ferramenta perfeita, tornou em pouco tempo o Google em sinônimo de buscas na internet. Sucesso desde que o conhecemos, poucos usuários sabem que a Google já passou por séria crise a ponto de quase fechar as portas.

Vou resumir a história da empresa: Larry Page e Sergey Brin se conhecem na Universidade de Standford, Estados Unidos, e tornam-se amigos. Larry nunca se conformou com a natureza da web: sabe-se para onde um link aponta, mas nunca se sabe quais links apontam para um lugar. Ele queria descobrir esse caminho reverso. E para isso criou uma ferramenta capaz de varrer a rede da faculdade e descobrir essas ligações. Depois foi só criar uma busca com base nos números de ligações e expandir isso para toda a web para criar o “pré-Google”.

O problema é que Page e Brin utilizavam para isso a rede e o hardware da universidade. E, só o pré-Google, era muitas vezes responsável por “travar” toda a rede, além de utilizar todo o processamento dos computadores disponíveis por lá.

Os dois adolescentes então transferiram a pequena criação para casa e, com ajuda de investidores de risco, começaram a comprar computadores para aguentar o sistema. Mais de um ano depois, milhares de pessoas já utilizavam o Google, o buscador varria milhões de páginas na web, mas a empresa não havia se preocupado em criar uma forma de ganhar dinheiro. Eles tinham que lucrar, e rápido: o prejuízo para bancar o sistema ficava cada vez maior, e a pressão dos investidores de ter retorno no que investiram ficava cada vez maior.

Apesar da crise, os dois jovens se recusavam a seguir o modelo de dinheiro que praticamente todo mundo seguia na web: os banners publicitários. Um simples banner na homepage do Google poderia trazer milhões de dólares à empresa, um modelo que sustentava perfeitamente Yahoo! e outros grandes sites da web. Mas os fundadores da Google preferiram continuar no prejuízo à ter que “sujar” o buscador. Passado algum tempo e muitas pesquisas, eles acabaram aproveitando a idéia de um sistema de links patrocinados criado por Bill Gross. Criaram uma ferramenta melhor e mais inteligente que a de Bill, e a chamaram de Google AdSense. E o resto da história vocês já conhecem.

Quis contar isto para vocês verem como a história da Google deixa claro a preocupação da empresa com a qualidade, mas poucas vezes com o lucro. OK, isso pra gente é ótimo, eles focam mais no usuário e menos nos investidores. Mas, como qualquer empresa capitalista, a menos que eles tenham descoberto uma nova forma de se manter vivo se preocupando apenas com o usuário, eles vão ter que abrir mais os olhos para seus acionistas, seu faturamento, e o restante do mercado.

Pergunta: de onde vem o dinheiro do Google? Resposta: dos links patrocinados. Mais de 95% dele. Curiosamente, o primeiro projeto desenvolvido para trazer dinheiro ao Google, é até hoje o único que funciona. E não parece isso que irá mudar tão cedo. A venda de links foi um produto criado, com muita relutância dos sócios, para tirar o Google do atoleiro na fase inicial. Mas o problema é que passado a crise, eles aparentemente esqueceram o problema. Isso pode ser um grande erro: o que aconteceria se um concorrente simplesmente lançasse, da noite pro dia, uma ferramenta de publicidade melhor?

A Google pode falir?

O AdSense, serviço de publicidade da Google, está ganhando concorrência. Enquanto a Google ganhou rios de dinheiro pelo simples fato de ter a melhor ferramenta de anúncios na web que existe, hoje ela tem concorrentes (quase) à altura. Yahoo e Microsoft entraram na briga, e ambos para ganhar mercado. O Yahoo! lançou o PANAMA, uma versão bem melhor que o antigo Overture (criado por Bill Gross, por sinal), bem mais inteligente e que pode tranquilamente concorrer com o AdSense. E a Microsoft com um serviço ainda um pouco desconhecido, mas que já conseguiu clientes de peso como o badaladíssimo portal social de notícias Digg.com.

Além de estar com seu império dos anúncios a um passo de ser ameaçado, as tentativas de diversificar seus lucros nunca deram muito certo. A empresa tenta faturar com venda de vídeos na web, hardware e software para indexação de arquivos, aplicativos online para empresas e mais atualmente até vendendo mais espaço em e-mail. Mas infelizmente todas essas alternativas juntas não representam uma parcela significativa nos lucros. Parece que os únicos produtos que emplacam realmente, são os gratuitos.

Para complicar mais a situação da gigante das buscas, a empresa conseguiu decepcionar analistas e investidores e sofrer uma de suas piores quedas na bolsa de valores há algumas semanas atrás. Até o próprio Bill Gates (ok, sei que ele é da concorrência) questionou a capacidade da Google de criar produtos lucrativos. Afinal, onde que Google Docs, Google Video, Orkut, Reader, Notebook dentre outros trazem dinheiro para empresa? Teoricamente, apenas consumo de banda, energia, servidores e profissionais.

O que ela pode fazer para se “salvar”

É lógico que ninguém aqui acha que a Google irá quebrar de um dia pro outro, ou que somos alguém que possa ditar o rumo da empresa melhor que os próprios profissionais que trabalham lá ou mesmo que sérios analistas de mercado. Mas temos alguns palpites do que a empresa pode fazer para conseguir fôlego contra a concorrência:

  1. Fusão com a Apple: uma parceria com uma das empresas que mais valorizam nos Estados Unidos poderia ser uma boa estratégia. A Apple tem ótimo hardware e software, e a Google é mestre em serviços online. Uma fusão poderia dar o fôlego suficiente para bater Yahoo, Microsoft ou qualquer outro concorrente que se aproximasse.
  2. Fusão com o Yahoo: ótimos produtos, um conteúdo gigante e monopólio imediato audiência na web. Esse seria o tesouro que a Google teria nas mãos em uma fusão com Yahoo. Se bem gerido, os negócios da Google sem dúvidas alcançariam um novo patamar.
  3. Diversificação de negócios: a Google tem muita informação na mão. Histórico de buscas, emails e perfis do Orkut podem dar à empresa a informação necessária para entrar em qualquer mercado fazendo sucesso. O problema é que a empresa poderia ser acusada como antiética fazendo uso dessas informações pessoais dos usuários para ganhar mercado.
  4. Lucrar com o que já tem: aparentemente, é o que a empresa vem fazendo atualmente. Orkut, que sempre deu prejuízo (sem falar nas dores de cabeça judiciais) para a empresa, ganhou anúncios relevantes. Outros produtos gratuitos que ganharam estratégias de monetização foram o PicasaWeb, Google Docs e Blogger.
  5. Tratar o dinheiro como uma verdadeira gigante capitalista: ao lançar a nova interface do Hotmail, a Microsoft não perdeu tempo em preencher 20% (ou aproximadamente isso) da tela com banners. Se um produto não dá lucro, então pra que mantê-lo? Essa linha de pensamento pode trazer muito dinheiro para dentro de casa, mas… quem gostaria de ver uma Google assim? Eu não.

Popularity: 4% [?]

Publicado em Geral por brunosoares. Marque Link Permanente.

Sobre brunosoares

Paulistano, 22 anos, estudante de Engenharia da Computação pela FASP, é desenvolvedor Windows e Web há 5 anos. Gostava de escrever sobre tecnologia nas horas vagas, e criou o Undergoogle junto ao Fernando Kanarski para poder acompanhar de perto a, na sua opinião, empresa de tecnologia mais inovadora dos últimos anos.

30 ideias sobre “A Google pode falir?

  1. Interessantíssima a visão colocada no texto. Eu acredito que investimentos em outras áreas já estão sendo feitos há tempos.

    Energia, principalmente. Os caras juntaram algumas das melhores mentes do planeta. Daquele mato vai sair algum cachorro.

    A possibilidade do Google quebrar existe e é considerável, todos aqueles cento e sei lá quantos bilhões são dinheiro, na maior parte, de investidores. E investidores não metem dinheiro no que não dá lucro.

    Ainda sou mais fã do tio Bill do que daqueles dois estudantes.

    Viva o capitalismo.

  2. Eu gostaria de lembrar que a Google adquiriu algumas empresas que podem trazer um retorno bem lucrativo se seus produtos forem melhorados. Um exemplo é o Google SketchUp, que está virando o software preferido da galera da arquitetura e design. Se a Google criar uma versão para arquitetos/designers, teremos uma bela fonte de renda ali. Eu mesma não vejo a hora de ter um tempinho pra bolar um plug-in pra ele. 🙂
  3. poderiam fazer a pagina inicial do google com propagandas, e para que fosse registrado nao houvesse, e poderiam fazer o mesmo no orkut e em todos osoutros programas
  4. Bruno Soares,
    Parabéns por sua lúcida e imparcial análise. São trabalhos como este que fazem do Undergoogle um dos grandes blogs, que tratam do tema no Brasil.
    Abraços,
    Rômulo Mendes
  5. bem, nunca tinha pensado neste caso

    nem imaginava de onde vinha o dinheiro da google

    seria uma pena a sua falência, mas acredito que isso não vai acontecer, qualquer grande empresa adoraria uma indexação à Google !

  6. Bruno,

    Realmente você “abriu” minha mente na percepção de novas idéias, esse cenário exposto por você talvez seria o último que viria a minha cabeça em uma análise a respeito do Google.
    O grande fato é que empresas são feitas para dar lucro ou no mínimo serem auto-sustentáveis. Equalizar isso de forma inteligente e ética é o grande desafio das empresas de tecnologia neste século.
    Ótimo artigo, parabéns.

    [ ]’s e sucesso.

  7. Pois é, nenhum usuário do Google gostaria que ele falisse. Mas, seguindo essa lógica, se o Google vier a falir e alguém o substituir, provavelmente o serviço prestado por esse alguém equipare-se ou supere o do Google (embora particularmente eu ache isso bastante impossível).

    Como disse o xará ali em cima, viva o capitalismo!

  8. Otimo texto mas não acredito que haja acomodação por parte do goolge, mesmo pq os investidores nao estao apostando suas cifras em algo inconsistente. Só nao entendo pq ainda o google não investiu em sistema operacional, seria uma “punhalada” fatal no peito da M$.
    Vida longa ao google.

    VIVA O GOOGLE!!!

  9. Excelente matéria. Parabéns.

    Publiquei um link lá no useaporradogoogle.com/blog

    Eu acredito que a empresa irá mudar de estratégia se for necessário. Não acredito que os invstidores tenham que se preocupar.

  10. Gente…só lembrando uma coisas pra vcs.

    O google comprou o youtube por 1,3 bilhões.

    A Vale do Rio Doce foi comprada por apenas 3,3 bilhões!!!

    Ou seja, na hora que quiser, o google pode comprar o Brasil e fazer dele uma ilha.

    Quanto valeria a Petrobras?

    10 bilhões?

  11. Acho difícil a Google falir. Se passar sérios apuros põe um pouco de propaganda por algum tempo e já recupera o fôlego. Mas ainda creio que a melhor jogada seria criar um navegador do Google que facilmente tomaria o mercado mundial de navegadores sendo voltado para busca. Além de resolver de quebra o grande problema dos webdesigners (as diferenças entre navegadores) serviria às suas estatísticas bem como os enriqueceria usando o próprio AdSense neles. Imagina se fizessem um navegador em parceria com a Adobe? Utopia…

    Na verdade, tenho várias idéias que poderiam enriquecê-los, porque não me contratam? rsrs

  12. Goooooooooooooooooooogle!

    Profetas nem tentem! Essa todo mundo já sabe…

    Bacana esse texto. Pena que não mencionou tantras outras empresas do grupo que em um futuro proximo irão dominar o mundo.

    A Google acabou com o monopolio.
    Viva a liberdade de escolha…

  13. 1º O Google não conseguiu até agora finalizar a compra da DoubleClick, e pq? pq as concorrentes reclamam da política de mercado. E de fato, essa compra está travada na justiça dos EUA.

    2º Jamais compraria o Yahoo, são empresas com políticas diferentes.

    3º Porque mudar o modelo de negócio, se esse modelo tornou o Google a empresa com maior valor de mercado do Mundo?

    4º “Produtos Gratuitos que emplacam”, é exatamente isso que o google sempre fez, e sempre deu certo. É de um produto gratuito que tudo começa. Vide Google Buscas.

    5º Esse post de cima dizendo que a petrobrás vale apenas 10 bilhões foi a coisa mais ridicula que eu já li!!! Uma empresa que representa boa parte do PIB brasileiro.

    6º Acho que aquelas opções para “salvar” o google, realmente levaria ele pro buraco definitivamente!!! Pois nenhuma das empresas citadas para fusão , trabalham sobre a mesma plataforma de trabalho. E querer dominar todos as areas do mercado, é a receita para dar errado. Se o google começar a focar em software e hardware, como o texto sugere, a empresa correrá um sério risco de destruir a imagem construída com muito trabalho, que é a Marca Google.

  14. Eu nem penso na hipótese da falência do Google, acho muito pouco provável que tenham um declínio, o motivo por manter serviços não rentáveis se deve a política dos seus fundadores em servir o usuário, os lucros com publicidade consegue fazer a empresa crescer a cada dia e bancar tais serviços não oferecem renda, não basta ser uma empresa lucrativa, a empresa deve conquistar fâns, como eu por exemplo, que defendo o Google com unhas e dentes, pois creio que o modelo de negócio do Google é exemplar.
  15. A meu ver, uma fusão com a Sun Microsystems seria mais que uma saída: é um casamento perfeito de duas empresas de perfil semelhante, que buscam a perfeição e oferecem não apenas produtos, mas uma nova forma de se relacionar com a tecnologia. Em termos de web, acredito que o modelo do Google é o melhor até hoje surgido. O dinheiro é uma idéia falida: o que importa, daqui por diante, são modelos que se relacionam entre si e que possam estar em constante aperfeiçoamento. O futuro foi ontem. Vivemos em um universo gasoso em expansão extremamente veloz, cuja economia não se baseia nem se movimenta mais nos moldes do capitalismo que já conhecemos. Não há, por exemplo, como pagar tanta gente para atualizações, verificação de bugs e documentação. Abrir o código e oferecer tudo grátis, via web, é a saída. O que importa é a marca se valorizar na bolsa.
  16. Acredito que a Google pode até perder um pouco de sua força, juntamente com alguns bilhões, isso sendo bem pessimista, mas nunca chegará ao ponto de falir.
    No mínimo usarão publicidade um pouco mais agressiva, o que chateará alguns usuários, mas nada que faça muita gente deixar de usar os serviços.
    Eles tem muitas mentes talentosas trabalhando na empresa. É impossível que entre elas não surjam mais idéias de como ganhar dinheiro.

    Parabéns pelo texto!

  17. Faz algum tempo, fiz uma previsão a esse respeito, percebi que a maior fonte de capital “físico” da Google é o Adsense, mas se observermos bem, o maior patrimonio da Google tem 6 letras:
    G O O G L E
    Isso mesmo, a marca Google. Acredito que o rumo a seguir devera ser a exploração da marca ja consolidada da Google a exemplo de outras mascas famosas como a Coca-Cola (vocês sabiam que o custa de fabricação de uma garrafa de 2L é de apenas R$ 0.20? Incluindo tudo mesmo, garrafa e “ouro negro”? Os outro R$ 2,80 cobrados são puramente MARCA, um lucro de 1300% !!!)

    Ainda que o ramo da coca seja outro, a mecanica é a mesma, CREDIBILIDADE, e isso a Google tem de sobra. Eles poderiam trabalhar, por exemplo, em modalidades MOBILE para seus produtos. Ja pensou em uma versão do Google Hearth para celular?? com recursos tipo GPS?? E que tal cobrar baratinho por isso??

  18. Muito bom artigo! Já penso nisso há tempos!

    Bem, acho que vale considerar que não basta ter ferramentas de anúncio boas como as da Microsoft e Yahoo. É necessário ter visitantes, e o Google está ganhando de seus concorrentes.

    Outra coisa importante é lembrar que nem o Page nem o Brian foram os que “tiveram a idéia do Adsense”. Os investidores colocaram um cara “Comercial” lá, para fazer a empresa dar dinheiro pois os 2 não queriam sujar o site como vc disse.

    Enfim, o Google está comprando todos… e liberando gratuitamente seus produtos. Eles estão crescendo exponencialmente, será que vão dar conta de tudo? São muitos produtos. Se só o adsense dá dinheiro, o que fazer com os outros produtos? Informação? Talvez…

    Eles controlam muita informação. Todos sabem que informação é dinheiro, sabendo usá-las é díficil falir. Investidor quer retorno, não quer saber se a empresa tem fãs.

  19. Primeiramente gostaria de agradecer a toda a equipe do Undergoogle justamente pela imparcialidade da notícia.

    Estou a 1 mês de concluir meu estágio na Google, aqui na cidade de Kirkland em Washington, como um engenheiro de software. Estou aqui a 1 mês e posso garantir que as maiores mentes estão nessa empresa. Eles com certeza sabem lhe dar com qualquer iniciativa de qualquer empresa concorrente. Eu não acho que haja muitas possibilidade de todas essas mentes serem derrotadas. Acho que o máximo que pode acontecer é o lucro estabilizar, sem crescer e sem cair.

    Abraços!

  20. Bruno,

    Sua matéria é ótima, texto nota 10, visão nota 1.000.

    Quando adolescente, carregamos conosco ideais puros, nobres e utópicos. A medida que a maturidade chega percebemos que o capitalismo do Mundo não perdoa iniciativas que não paguem suas contas.

    O Google é fabuloso. Não se tornou grande por ser gratuito mas sim por ser eficiente. Ele entrega o que se espera dele.

    Sou o tipo de usuário que pagaria pelos serviços do Google, da mesma forma que pago por outros serviços na web, desde que ele me seja de ponta.

    Tenho inúmeras idéias estratégicas e possibilidades de negócio para Google. Isso é o que não falta para um grupo de ponta como Google.

    Falência? Discutir isso é o mesmo que discutir a morte pu o sexo dos anjos. Tudo que é vivo, um dia morre ou se transforma. É fato.

    Oscar UNGArelli
    http://www.agenciaclimax.com.br

  21. Não sei se você leu o blog do Juliano Barreto, tem um link até na INFO.

    Acesse aqui

    http://info.abril.com.br/blog/juliano/20070828_listar.shtml

    Neste link ele fala de um inglês que tem uma teoria que em 4 anos os sites com redes sociais seram mais eficientes que o busador Google.

    Vale a pena ler…E assistir os vídeos do inglês falando sobre sua teoria.

    Quanto ao futuro da Google, é como dizem os outros: “Quem viver, verá!”

  22. Acalmem-se: é só uma empresa.

    A Seleção Natural Capitalista irá fazer a sua parte. Só nos resta rezar.

  23. No momento, creio ser pouco provável que o Google quebre. Mas não impossível. Concordo com os colegas que dizem que lá dentro existem mentes brilhantes capazes de manter esta gigante no topo. Viva o Google!
  24. Pingback: Goohoo! E se a Google comprasse a Yahoo!? | Undergoogle - Tudo sobre Google!

  25. Pingback: Música » Lennon (desambiguação); Pode

Os comentários estão fechados.