E agora Google?

Há cerca de 2 meses, um amigo, muito ligado a pessoas de dentro da Google, me jurou de pé juntos que a Google estaria negociando uma parceria com Yahoo, fundindo as duas empresas e gerando uma mega empresa de inovação, tecnologia e publicidade on-line.

Na semana passada, todos foram surpreendidos pela notícia de que a Microsoft fez a oferta pública de 44.6 bilhões de dólares para poder controlar a Yahoo. A notícia correu o mundo e é atualmente um dos assuntos mais discutidos na Internet. A intenção da Microsoft, além de adquirir um motor de busca decente, é conseguir uma empresa de marketing on-line e levar junto, e-mail, IM e o portal mais acessado da Internet.

Temendo um monopólio da internet, semelhante ao acontecido com o PC, a Google mostra sinais de preocupação. E já há notícias que Eric Schmidt fez uma oferta pública de parceria com Yahoo, para fortalecer as empresas e combater a Microsoft.

Além da notícia da parceria ser anunciada por jornais como New York Times e Wall Street Journal, a Google resolveu anunciar publicamente sua insatisfação perante à mega aquisição, e classificou a possível oferta da Microsoft como hostil. No post do Blog Oficial do Google, David Drummond – vice-presidente sênior, desenvolvedor corporativo e executivo-chefe da Google – falou que a internet precisa de empresas com a mente aberta para que as inovações possam fluir, classificando Yahoo e Google como esse tipo de empresa, e condenando a Microsoft a ser uma empresa fechada e que somente quer o monopólio da WEB. Da mesma forma que aconteceu nos computadores pessoais, que até hoje são dominados pela Microsoft e seu sistema operacional Windows.

Particularmente, não entendo o que a compra pode trazer de bom para a Yahoo. Ontem, ao ler o Estadão, me deparei com um artigo muito interessante sobre o assunto. Abaixo, um trecho que pode ter me convencido que a compra não é de muita vantagem para a Yahoo:

Também me pergunto o que o Yahoo vai ganhar com o negócio – além de um ágio para sua ação enfraquecida. “A aquisição vai ajudar a sua marca?”, indagou Mark Mahaney, que cobre o Yahoo para o Citigroup. “Não. Isso vai proporcionar a eles uma melhor tecnologia de busca? Não. Ela vai lhes dar uma maior força nas vendas de publicidade? Não. Suspeito que, neste momento, tudo isso está sendo questionado nas salas da diretoria”, acrescentou.

Mesmo com uma possível ajuda da Google, e muita gente preocupada e indignada com a possível aquisição, os fundadores da Yahoo parecem ter gosta de suas ações terem pulado de $9.20 pra $28.38 com o anúncio do interesse da Microsoft, e preferem o dinheiro oferecido pela gigante de Bill Gates, que uma suposta ajuda da Google para depois continuarem dividindo e brigando pele mercado de busca e publicidade on-line.

E se a aquisição realmente se concretizar?

Bem, se tomarmos como exemplo a aquisição da DoubleClick pela Google que se arrasta até hoje pelos tribunais de alguns países, podemos ver que uma possível aquisição da Yahoo pela Microsoft deve gerar muita discussão e tanta polêmica quanto a vontade da Google monopolizar o mercado de publicidade on-line com a compra da DoubleClick.

Se concretizada, a aquisição deve ser questionada pela Google, concorrente direta da Microsoft e Yahoo e que deve ter seu mercado de busca, e-mail e publicidade on-line ameaçados.

Parceria entre Google e Yahoo pode ser tão ilegal quanto a aquisição pela Microsoft?

Pelas declarações feitas no Blog Oficial do Google, nota-se uma grande preocupação da empresa de buscas por um possível monopólio gerado com a aquisição da Yahoo. Talvez, a Google tenha percebido que fazer uma fusão seja algo que levante muitas discussões e não fazem bem para a empresa. Por isso, a gigante das buscas deve ter desistido de suas negociações do Yahoo e agora condena a suposta aquisição pela Microsoft, tentando manter a liberdade na internet.

Sem dúvidas, a Google está com medo do ataque que seu mercado de publicidade pode receber com a aquisição. Como agora não há o que se fazer a não ser esperar as decisões de David Filo e Jerry Yang (fundadores do Yahoo) e seus acionistas, a Google resolveu posicionar-se ao “contrário do lado negro da força”, condenando o monopólio e lutando por uma internet mais livre, com empresas inovadoras e sem tanta burocracia.

Se a compra não se concretizar, a Google continua sua trajetória rumo aperfeiçoamento das buscas e publicidade on-line. Caso contrário, veremos uma briga ferrenha pela publicidade e por conteúdo que pode acabar com a inovação na internet e deixar a briga limitada a 2 grandes grupos na internet.

Popularity: 2% [?]

6 ideias sobre “E agora Google?

  1. Infelizmente na maioria dos casos o dinheiro fala mais alto, não seria diferente com o yahoo, a Micro”evil”soft só está tentando fazer o papel dela, ou seja dominar o mundo. cabe a nós incentivarmos a liberdade na web e nos sistemas operacionais dos computadores. Vamos incentivar o software livre.E chega de Ruindows..abraços
  2. Infelizmente um erro no template acabou enviando comentários para o lugar errado fazendo com que alguns fossem perdido, peço desculpas a quem comentou e aviso que o problema já foi resolvido!
  3. Tudo dor de cotovelo de Mountain View.
    Assume que perdeu o Yahoo! e sai pro abraço, Google.
    E briga nao acaba com inovação. Monopolio, mais cedo ou mais tarde, sim.
  4. Bem, vejo o Google hoje como uma empresa manhosa. Quando eles quiseram comprar a DoubleClick, eles acharam normal. Dizeram que não era uma monopólio e etc. Juntando o Yahoo com a Microsoft e somando os dados dos dois, o Google ainda vai estar a frente tanto nos Links patrocinados(dos quais é o que eles tem medo de perder, afinal, é da onde vem o dinheiro) e a Busca. Cá entre nós, o Google não tem um grande medo de perder a quantidade de buscas feitas em seu site. O que o Google realmente tem medo é em relação aos links patrocinados.

    Eu não gosto da Microsoft, mas, ta vendo esse banner do AdSense? Pois bem, com uma força maior(se a Microsoft comprar o Yahoo) talvez o valor do clique aumente para nós.

    Me lembro no começo do AdSense que as vez um clique era nada mais que $1,86 (foi meu primeiro clique e por isso me lembro bem – pensei até que ia ficar rico :)) Hoje, nós temos cliques que valem $0,01. Com 2 empresas grandes batendo de frente quem ganha somos nós, usuários.

    É isso. Eu torço para que a Microsoft compre o Yahoo e libere os links patrocinados para a internet inteira. Dessa forma, nós, usuários, poderemos além de ter mais escolha, poderemos ganhar mais.

  5. O mais engraçado de tudo é que a Yahoo! a tempos atrás tentou comprar o Google. Se tivesse comprado, seria interessante (e ricos). Eu estaria muito preocupado se trabalhasse na MSN em um momento desses.
    Concordo que quem ganha com isso são apenas os usuários, independente de quem comprar quem ou deixar de comprar. Melhores mecanismos de buscas, Adsense mais favorável, melhores serviços onlines. O problema é que, o Google tem uma espécie de monopólio já. Como eu vi em alguns outros blogs comentários do tipo “Existe outro mecanismo de busca? Mentirosos!” ou até mesmo “Yaaa…who?”.
    Quais serviços realmente são bons do yahoo? Err… A interface do webmail? Eu acho que nesse caso, não temos que pensar o que o Yahoo vai ganhar, e sim, o que o Google vai perder. Essa compra não é para deixar o yahoo feliz, e sim, a microsoft. Quem vende frango não esta interessando se o frango vai ser frito ou não, e sim, como ele vai ser pago. Quem compra o frango não pensa se o vendedor vai comprar biscoito ou pão com o dinheiro, ele quer saber como preparar o frango. 🙂

    Minha opnião? Ponto para a Microsoft.

Os comentários estão fechados.