Adwords

Interessado em fazer dinheiro anunciando no Google?

Celular

Produtos do Google para seu celular favorito ou para o iPhone? Você encontra tudo aqui!

Gmail

Considerado um dos melhores Webmails do Mundo, o Gmail não pára de inovar!

Opensocial

Tudo sobre a plataforma de aplicativos para Redes Sociais do Google!

Orkut

Tudo sobre a Rede Social do Google, a mais popular no Brasil!

Início » Google

Google: o sonho acabou?

Enviado por em terça-feira, 27 janeiro 200924 Comentários

sonho-acabou

Há alguns anos o nome Google é ligado a expressões positivas. Para uns é sinônimo de sucesso, para outros de prosperidade e até mesmo alegria. Afinal, não é comum ver uma empresa – relativamente nova, diga-se de passagem – quebrar tantos paradigmas e se posicionar com uma imagem tão sólida quanto carismática. A Microsoft pode ser lembrada por ser líder no seu segmento e ser responsável por colocar Bill Gates algumas vezes no topo da lista dos homens mais ricos do mundo, assim como a Apple é lembrada por seu poder de gerar fanáticos em torno de uma marca e estar sempre na vanguarda. Mas o Google tem os dois lados da moeda. Pelo menos tinha.

Talvez não tenha sido tão surpreendente quando a companhia começou a anunciar seus “ajustes” para enfrentar a crise mundial, já que estávamos nos acostumando a notícias parecidas vindas de muitas empresas de informática e outros setores. Mas mesmo assim, talvez porque não quiséssemos imaginar a crise para o Google na tentativa de manter o sonho de empresa perfeita intacto, não esperávamos que o gigante fosse afetado.

Começou com os rumores de que o Google estaria cortando algumas regalias (ou seria luxo?) dos funcionários em grandes sedes como Nova York e até a de Mountain View. Já no final do ano passado, a companhia anunciou o cancelamento de contratos temporários e no início deste ano reduziu bastante a sua equipe de recrutamento, já que segundo a própria companhia, o volume de novas contratações não era mais o mesmo. Para completar, o blog TechCrunch divulgou, semana passada, e-mails de ex-funcionários que não se sentiam tão satisfeitos em trabalhar na empresa modelo; e a caída no ranking da Forbes de 1º para 4º posto das melhores empresas para se trabalhar parece ter oficialmente acabado com uma era.

Até mesmo as famosas “super compras” do Google ficaram estagnadas e o que vimos nas últimas semanas foi uma sucessão de descontinuidade de produtos que não traziam retorno financeiro para a companhia, ou não fizeram tanto sucesso com os usuários. O próprio Orkut, o queridinho dos brasileiros (só dos brasileiros e dos indianos) continua como patinho feio, vendo seu aniversário de 5 anos passar praticamente em branco. Nem é tão difícil de entender, mesmo com a recente adição de publicidade, o site ainda não dá dinheiro suficiente ao Google.

O que dá dinheiro mesmo (e muito) continua sendo a dupla Adsense-Adwords e é por isso que o Google está cada vez mais atento em garantir que a fórmula continue dando certo. Posts nos blogs oficiais da companhia com tutoriais e dicas sobre os dois programas nunca faltaram e parecem que estão longe de acabar. Em tempos de crise, o Google tem justamente o que as empresas estam precisando: meios baratos e eficazes de divulgar sua marca para um público mais segmentado.

Eu particularmente não gosto desse clima alarmante, como se a crise mundial fosse um daqueles filmes de Hollywood em que um desastre vai acabar com a terra em poucos dias, mas precisamos encarar os fatos: há reflexos negativos em grandes empresas, vide Microsoft e Intel. E mesmo que no Brasil ainda não tenhamos sido afetados diretamente, não dá para ver os acontecimentos isoladamente.

Então o que fazemos? Entramos em desespero? Não. Acho que a fórmula está aí na nossa frente. Quando uma crise toma grandes proporções, muitos segmentos são ameaçados, mas SEMPRE aparecem novas oportunidades. E para mim o caminho é o mesmo que o Google está seguindo: as novas mídias e principalmente, novas formas de publicidade. Não é novidade que a publicidade online veio também para quebrar paradigmas e abrir novos horizontes. É ainda muito mais barata que as mídias tradicionais e oferece um controle e um direcionamento das ações indispensáveis em tempos difíceis, quando temos que medir bem nossos gastos.

A descontinuidade do Google Print Ads indica o caminho. Já não acreditamos mais que a publicidade tradicional (nem os meios tradicionais) vai acabar, mas mais do que nunca precisamos apostar no meio online e confiar que temos oportunidades e ferramentas suficientes para superar os tempos de crise.

Agora, respondendo: o sonho acabou? Não. Talvez a fase não seja a melhor, mas o Google tem vários projetos – além da dupla Adsense-Adwords – que prometem garantir sua hegemonia na internet e em móveis. Novas idéias estão sempre surgindo e, na maioria dos casos, elas dão bons retornos para a companhia. Resta a nós seguir o exemplo.

Popularity: 77% [?]

Luciana Couto Mestranda em Jornalismo, analista de marketing digital, webwriter e geek nas horas vagas. Trabalha atualmente na Fivecom, empresa de soluções em Web 2.0 e mantém um blog pessoal.

24 Comentários »

  • Sabrina disse:

    Luciana, gosto muito de textos que levam a uma reflexão. A crise acaba preparando um celeiro de novas oportunidades, prontas para serem exploradas.

  • Olá Luciana, adorei o texto e a reflexão sobre a crise.

    Acredito que muitas empresas que hoje estão enfrentando a crise de frente sairão fortalecidas desse período, o que não se pode é empurar com a barriga problemas graves como fez a indústria automobilistica nos EUA.

    Tenho certeza que novas empresas surgirão nesse período, e novas mídias principalmente as sociais surgirão com força total nessa nova fase mundial.

    Forte abraço!

  • “E mesmo que no Brasil ainda não tenhamos sido afetados diretamente, não dá para ver os acontecimentos isoladamente.” — E viva a lavagem cerebral do Lula.

    O Brasil nunca foi uma economia isolada, não tem a mínima capacidade atual de se manter sem aporte estrangeiro, as grandes empresas brasileiras desaceleraram bastante e estão propondo coisas como corte de 50% do salário para manter todos ou redução do quadro de funcionários. Investimentos estão deixando de ser feitos, só o Ministério de Ciência e Tecnologia deve perder R$ 1,1 bilhão em orçamento…

    Mas não, o Brasil não foi afetado diretamente.

  • Muito bom o post, como disse a Sabrina, também gosto de textos que levam a refexão, coisa que é muito rara em textos sobre tecnologia.

  • Celso Ramos disse:

    Luciana, sou um entusiasta do Google desde a muito, quando começou com seu modelo de buscas, com suas ferramentas separadas, simples, feias, mais funcionais, foi isso e mais um pouco que a levou ao topo, ela conseguiu o que a Microsoft, não conseguiu até hoje a simpatia das classes A,B,C,D e as que vierem, a grande sacada para oferecer muitos produtos vamos dizer assim gratuitos ” A publicidade ” estou seguindo o rastro deles, a crise abre oportunidades, realmente.
    abraço

  • Luciana Couto disse:

    Oi Everson,

    Acho que acabei me expressando mal. Quando disse que não fomos afetados, me referia às empresas de TI, pois mesmo com os cortes anunciados pela Microsoft, a empresa disse que seu quadro no Brasil não será afetado. A mesma coisa o Google, que vem reduzindo custos em sedes de outros países e até agora não teve nenhuma atitude dessa grandeza por aqui.

    Valeu por me chamar a atenção :)

    Sabrina, Ricardo e Vinicius,

    Com certeza, quem souber aproveitar e ver além da fumaça, vai se dar muito bem.

    Luciana e Celso,

    Também adoro o modelo do Google e acho que de alguma forma ele vai passar bem por essa crise. Que sirva de exemplo para outras companhias, né?

    Abraço a todos! :)

  • Alex disse:

    Luciana parabéns pelo texto. Esta muito bom, e como já foi dito prepara uma boa reflexão para nós que estamos convivendo diariamente com o empresas assim e com esses tipos de situação.

  • […] Google: o sonho acabou? | underGoogle – Tudo sobre Google! Há alguns anos o nome Google é ligado a expressões positivas. Para uns é sinônimo de sucesso, (tags: http://www.undergoogle.com 2009 mes0 dia27 google crítica apocalipse) […]

  • Apesar da presença e da importância que o Google tem na nossa vida, é uma empresa vulnerável às tempestades da economia. Adsense e Adwords têm juntos – até a última vez que vi o número – 95% da receita da empresa. É uma padaria que só vende pão com manteiga e cafezinho. Um portfolio restrito de produtos.

    Outras empresas de tecnologia como Dell, HP, IBM, Microsoft e Apple diversificaram sua oferta de produtos e serviços, então quando um deles não vende o outro vende. O resultado, na média, não é tão ruim.

    Empresas do agronegocio também já passaram por crises financeiras no passado e aprenderam a lição: diversificaram seus portfolios. Quem produz café também produz laranja, e soja, e cana…

    É isso ai! Belo texto.

  • paulo araujo disse:

    Gostei muito desse post, ajuda a esclarecer que todos temos que nos alertar e trabalhar, para que novas soluções sejam vitoriosas.

    abs

  • Weigle Correa disse:

    Olá,

    Luciana parabéns pelo texto.

    Muito bom mesmo. É em tempo de crise também é tempo de oportunidades. O título, “Google: o sonho acabou?”, é forte fez com que lesse o texto inteiro. Mais uma vez muito bom mesmo.

    Vamos manter a cabeça fria e no lugar, planejar para sair o mais rápido possivel dessa crise. Sempre, olhando para história vemos momentos como esse, vamos tirar do passado lições para o presente e futuro, é pra isso que temos história e historico das ações no mundo como um todo.
    Adicionei seu blog pessoal no meus favoritos.

    Parabéns

  • Vim conhecer seu blog e gostei do que vi. Há posts bem interessantes como este que acabei de ler. Voltarei mais vezes.

    Abraços e muito sucesso em 2009.

  • jean disse:

    Toda grande empresa esta fadada ao fracasso, seja agora ou na proxima crise. Quanto maior o tamanho maior a queda, maiores os custos e maiores as desgracas.
    Nao eh pra alarmar nao, mas vc ja pensou em fazer sua previdencia privada? ou vc ta confiando no adsense do google? se liga galera, o google eh so mais uma empresa aplicando o modelo capitalista da sociedade que vivemos, e que nos trouxe a essa situacao de crise..
    Crise essa que ja chegou la em casa faz muito tempo…
    vai estudar e trabalhar que o esquema de storage e cluster do google tbm pode ser feito por vc!

  • “vai estudar e trabalhar que o esquema de storage e cluster do google tbm pode ser feito por vc!”

    Hahahahaha! 700 mil servidores and growing?

  • Fiote disse:

    “vai estudar e trabalhar que o esquema de storage e cluster do google tbm pode ser feito por vc!”

    “Hahahahaha! 700 mil servidores and growing?

    Acho que ele se referia à tecnologia, não aos recursos…

    Todo mundo pode ter boas idéias =]

  • icommercepage disse:

    Eu sempre fui um grande crítico da Google mas nunca neguei, esta é a empresa do futuro. Tem todas as características, serviços gratis, web 2.0, compra tudo o que é inovador, sem perguntar o preço e ainda domina o mercado.
    Onde é que foi parar aquele grupino de funcionários que pretendia criar um buscador? – se Bill Gates não pode com a Google, nenguém pode. Depois de dominar o mercado de internet, e com potencial para comprar tudo o que aparecer inovador na web, duvido que essa empresa quebre tão cedo.

  • […] Google: o sonho acabou? – Undergoogle […]

  • […] * Artigo publicado originalmente no underGoogle. […]

  • Quem já nasceu forte e continuou forte, sempre continuará forte, mesmo despois da crise. Assim será o o Google que vai superar expectativas de muitas pessoas.

  • Mundo Drive disse:

    Google é google supera tudo!