Google abre o código do EtherPad

wavejetApesar de não ter ainda uma presença real no nosso dia a dia o Google leva o Google Wave muito a sério, agora o último anúncio é que AppJet foi adquirida pelo Google.

Não muito popular por aqui, talvez você não esteja familiarizado com a AppJet que é responsável pelo EtherPad, um serviço online que permite que grupos de pessoas editem simultaneamente documentos. No anúncio, a equipe do EtherPad confirmou que continuará trabalhando em colaboração com a equipe do Google Wave. A empresa anunciou que o EtherPad só ficaria disponível ao público até 31 de março de 2010, depois de muitas reclamações dos usuários o Google decidiu disponibilizar o código do produto,

Foi isso que aconteceu nessa última sexta, o Google tornou público o código do EtherPad. “Nosso objetivo com este lançamento, é dar a possibilidade que o mundo crie os seus próprios servidores EtherPad de modo que o produto viva entre nós, mesmo depois de desligar etherpad.com.” escreveu o Aaron no blog oficial do Etherpad.

Para fazer download do código-fonte visite a página onde o produto está hospedado no Google Code code.google.com/p/etherpad.

[Blog do EtherPad]

Popularity: 3% [?]

Omnisio poderá trazer melhorias para Youtube e Google Docs

O Google adquiriu nesta semana a empresa Omnisio, uma Start-up  da Califórnia, dona de um serviço que  permite aos usuários editar vídeos e fazer interação deles com apresentações, anotações e outros conteúdos. O conteúdo distribuído pode ainda ter comentários em tempo real dos visitantes da página, permitindo total interação entre vídeo, apresentação e usuários.

O serviço fechou as portas logo após a aquisição e acreditamos que sua aquisição poderá trazer melhorias  tanto para o Youtube e Google Docs.

O pessoal do Youtube já declarou que juntará forças com o Omnisio e prometeu inovação que pretendem melhorar a experiência para os utilizadores do Youtube. Assim, veremos que o serviço poderá facilitar a edição de vídeos e interação com outros formatos de mídia, como uma apresentação de slides, por exemplo. A tecnologia do sistema também poderá ajudar na construção de maior interação entre usuários e o vídeo exibido. Já sabemos que hoje, o autor do vídeo pode inserir textos e links dentro do vídeo e o Youtube pode mostrar a lista de usuários que estão visualizando um determinando vídeo. Com o Omnisio, a interação entre a audiência e o vídeo poderá ser em tempo real e poderá disponibilizar aos usuários do Youtube tanta interação quando a já encontrada nos vídeos disponíveis no Omnisio.

A tecnologia do Omnisio também poderá ser utilizada no Google Docs. Hoje usuários já podem criar apresentações interativas no Google Presentations, permitindo aos usuários visualizar fotos, vídeos e gadgets nas apresentações. Com o Omnisio, a interação entre os formatos poderá facilitar  a interação entre um vídeo e uma apresentação ou sua anotação, além de aproveitar toda a tecnologia do Google para interação com fotos do PicasaWeb e até Gadgets.

A aquisição poderá até abrir caminho para softwares de apresentação interativa “webcasts”, semelhantes ao ShareHolder, utilizado pelo próprio Google na apresentação de alguns produtos. Veja exemplo.

Veja um exemplo de apresentação utilizando o Omnisio

</p> <div><a href='http://www.omnisio.com'>Share and annotate your videos</a> with Omnisio!</div> <p>

Popularity: 7% [?]

Computação em Nuvens: O futuro, segundo o Google!

Nos próximos anos deveremos ouvir muito os termos “computação em Nuvens “, “cloud computing ” e SaaS – Software-as-a-Service “. O conceito é claro, cada vez mais as informações estarão disponíveis e mais pessoas terão acesso a essas informações, graças à disponibilização de muitos serviços on-line, muitos gratuitamente, e que devem baratear o preço dos computadores, inclusive, aumentando a presença on-line de pequenas empresas e fornecedores de serviços.

O conceito não é novo para quem trabalha com internet, mas ganha cada vez mais destaque com declarações da Google estar trabalhando na sua “computações em Nuvens”. O termo refere-se à possibilidade de utilizarmos computadores menos potentes que podem se conectar à Web e utilizar todas as ferramentas on-line, seguindo o exemplo que o Google propõe com o Google Docs, Gmail e tantas outras aplicações. Assim, o computador seria simplesmente uma plataforma de acesso às aplicações, que estariam em uma grande nuvem – a Internet.

Vale lembrar, que como o termo não é nada novo, já existem vários sites que são praticamente sistemas operacionais on-line, além de muitos serviços que disponibilizam ferramentas fantásticas on-line. Exemplo recente da Adobe, que disponibilizou uma versão on-line do Photoshop.

O Jornal da Globo fez uma reportagem tentando explicar o conceito e, ao visitar a sede do Google em Mountain View tornou-se a primeira equipe de TV sul-americana a conversar com Eric Schmidt – CEO do Google. Na conversa, Eric falou que o Google compra novas empresas na proporção de uma por semana e, ao ser perguntado sobre uma possível aquisição do Yahoo!, respondeu que não há planos de comprar gigantes, mas sim de pequenas empresas que oferecem serviços “revolucionários”.

Eric também “alfinetou” a Microsoft, falando que não tem medo da empresa de Bill Gates e que a empresa deve sofrer com a concorrência da “computação em Nuvens” que deve crescer nos próximos anos e ir totalmente contra o conceito aplicado até hoje pela Microsoft. Segundo ele, o futuro está na internet, daí o interesse da Microsoft adquirir o Yahoo!.

Eric completou que o Google está trabalhando para esta “computação em nuvens”, mostrando que a empresa tem interesse em disponibilizar cada vez mais informações e torná-las cada vez mais acessíveis, seguindo o lema da empresa e, lógico, ganhando mercado e fazendo dinheiro com este público sedento por informações.

Assista a reportagem realizada pela Globo dentro do GooglePlex:

Veja o texto da reportagem na íntegra no G1

———–

Correção sugerida pelo leitor Charles M. Fontanetti:

Durante uma pesquisa na Internet eu vi um artigo no seu Blog intitulado: Computação nas Nuvens. Respeitosamente venho por meio deste rogar-lhe que corrija a tradução. “Cloud Computing” não é computação feita no céu, nas nuvens como o título parece indicar. A tradução correta usaria nuvens como metáfora. Portanto, se a pessoa falar “nas nuvens” ela perde o significado da metáfora.

Computação em nuvem é o conceito correto pois faz uso da metáfora de uma nuvem de computação ou de dispositivos de computação.

Popularity: 66% [?]

Depois de rejeitar oferta da Microsoft, Yahoo! exibirá anúncios Google!

Depois bater o pé quanto ao ultimado de Steve Ballmer, a Yahoo! anunciou que estará fazendo um teste com anúncios Google em suas páginas de busca. Segundo informações divulgadas no The Wall Street Journal, a Yahoo! começará a testar anúncios Adsense pelo prazo de 2 semanas em aproximadamente 3% de seus resultados de busca.

A ação tem o objetivo de mostrar para a Microsoft que a Yahoo! vale bem mais que o valor ofertado pela sua compra.

“A Yahoo! testará o Google AdSense nos serviços de buscas, que entregará anúncios relevantes aos resultados das buscas exibidas no Yahoo! Search,” Comunicou o pessoal da Google. “Isto faz somente parte de um teste e não indica necessariamente que Yahoo! e Google poderá tornar-se parceiros em anúncios”.

Preocupada, a Microsoft já lançou um comunicado, dizendo que “qualquer possível acordo entre Yahoo! e Google poderia dominar 90% do mercado de buscas  nas mãos da Google. Isso poderia tornar o Mercado menos competitivo.”

À Microsoft só resta tentar uma compra hostil da Yahoo! já que teve sua oferta rejeitada publicamente por 2 vezes. A última tentativa realmente parece ser comprar partes de acionistas para tomar o comando da Yahoo! na marra. Porém esta medida, um tanto quanto hostil já conta com a desaprovação de alguns grandes acionistas da Yahoo! que já declararam não abrir mão de suas ações. Parece que, além de tomar o caminho errado ao anunciar uma oferta pública, a Microsoft ainda quer tentar tirar dos acionistas da Yahoo! uma coisa que lhes é de muito valor!

Parece que quem sai ganhando nesta briga é a Yahoo! que deve ter seu capital valorizado, além de conseguir pequenas e importantes parcerias com a Google.

Veja o artigo completo no The Wall Street Journal 

Popularity: 3% [?]

Primeira aquisição do ano: Plaxo?

PlaxoO Plaxo é um agregador de contatos on-line. Uma espécie de rede social que agrega informações de praticamente todos os grandessites[bb] “sociais” da Web, como Flickr, Last.fm, MySpace, Digg, Del.icio.us, Twitter, entre outros.

O rumor, liberado na revista Wired, conta que, embora o serviço esteja indo muito bem e os desenvolvendores do Plaxo estejam ajudando no desenvolvimento e implantação do Open Social, houve uma suposta oferta de $200 milhões pela compra do serviço pela parte da Google[bb]. Lógico que nada oficialmente confirmado.

Além de ser muito interessante, o Plaxo tem bases fortes, já que entre seus fundadores encontram-se Cameron Ring e Todd Masonis, co-fundadores do Napster, e Sean Parker, envolvido na fundação do Facebook.

Popularity: 3% [?]