SEOCamp Brasil

seocamp

Será realizado em Curitiba, nos dias 11 e 12 de Dezembro, o SEOCamp Brasil, evento que reunirá algumas das maiores figuras de SEO do Brasil para discutir ferramentas, novas características, estratégias e o mercado de SEO nacional. O evento fará parte o FMDS e está sendo organizado por mim (Fernando Kanarski) e pelo  Mauricio Zane – Sócio do CSSMix.

O objetivo do evento é reunir profissionais, empresas e demais interessados de SEO para discutir técnicas e mercado, em um ambiente interativo onde o foco será a troca de experiências e o networking. O ano de 2009 foi agitado para o mercado de search, com o SEOCamp profissionais da área terão a oportunidade de discutir todas as mudanças do mercado e traçar objetivos para 2010.

O evento funcionará como um fórum. Todos têm o direito de participar expondo suas opniões em qualquer um dos tópicos (temas) abordados durante o evento. Em vez da predominância de palestras, teremos discussões ao redor de temas votados previamente ao evento. O SEOCamp é sobre pessoas e não sobre empresas. Então esse formato tem a intenção de explorar o maior ativo do evento, os seus participantes.

Se você é um Profissional de SEO e está afim de participar do encontro em Curitiba, faça já sua inscrição. Se você já se cadastrou, ajude a montar o programa do encontro. Para isso, visite o formulário que criamos no Google Docs e nos conte quais assuntos mais lhe interessam! Você também pode interagir com alguns dos participantes através da Wave pública que criamos.

Anote na sua agenda:

SEOCamp Brasil
Dias 11 e 12 de Dezembro das 13 às 18h
Universidade Positivo Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido – Curitiba – PR
Inscrição: R$30,00 (inscrição aqui) Vagas limitadas!
Mais informações: Site Oficial do FMDS

Popularity: 1% [?]

Mais um passo para o Flash

Uma das primeiras coisas que me disseram quando comecei a aprender SEO foi :”o Google não gosta de Flash”. Por mais que o buscador não tenha preconceitos, é fato que o robô realmente não pode ler esse tipo de arquivos e interpretá-los por completo. Ainda hoje, passados anos, são longas as discussões sobre um dos formatos preferidos dos designers e o pesadelo de profissionais de otimização. Até mesmo no último Google Search Marketing o tema esteve presente em muitas das perguntas dos participantes.

Uma solução simples, ainda que limitada, é fazer dois sites: um em flash para os usuários e uma versão “amigável” para o robô. Mas convenhamos que isso não é uma solução, é, no máximo, um improviso. E mesmo resolvendo o problema da indexação, fica a impossibilidade de obter dados de acessos completos.

Pelo menos este segundo inconveniente parece ter sido resolvido. Como prometido, o Google e a Adobe uniram forças e o resultado é o anúncio do Google Analytics Tracking for Adobe Flash, uma solução que possibilita receber dados de acessos de arquivos em flash. O código de rastreamento do Analytics foi traduzido para a linguagem ActionScript 3, o que permitirá todas as funcionalidades que já existem na versão original.

Os exemplos citados no vídeo postado pelo blog do Google Analytics (em inglês) explicam muito bem como funcionará a ferramenta:

Não é novidade que as duas empresas estão trabalhando em conjunto há alguns meses para trazer avanços na “leitura” de arquivos em flash, mas esta nova ferramenta é o primeiro resultado “paupável”. Mesmo com o anúncio de indexação feito em junho pelos engenheiros do Google, usar texto puro continua sendo a melhor estratégia para garantir um bom posicionamento do site em mecanismos de busca. Poder ver números reais de acessos a um arquivo em flash no Analytics vai não só ajudar a analisar dados de campanhas, mas também testar os avanços do Google quanto à tão discutida questão do flash.

Ainda é cedo para comemorar, mas já podemos ter esperança de que um dia o robô poderá interpretar qualquer tipo de arquivo da página. Afinal, dá um aperto no coração ter que dispensar peças excelentes (que talvez causariam muito mais impacto no internauta) por causa do posicionamento.

Popularity: 60% [?]

Guia de SEO para Iniciantes

Se você possui um site ou blog, deve se preocupar com a indexação dele no Google e deve otimizá-lo para que  seja o melhor posicionado para determinadas palavras-chave.

Bem, sempre me perguntam sobre dicas básicas de SEO. Por isso, vou me aproveitar da notícia, capturada do Ego Strip, do Pedro Dias, e falar rapidamente  sobre um Guia de SEO para Iniciantes, que foi elaborado pelo próprio Google e dá dicas fundamentais para que um site seja bem estruturado e consequentemente bem indexado no Google.

Como o próprio Pedro diz, o “guia pretende responder a muitas das questões colocadas por webmasters em conferências ou no Grupo de Ajuda, como por exemplo ‘Quais os primeiros passos básicos para melhorar a performance do meu site no Google?‘”.

O guia, em inglês, conta com 22 páginas e aborda temas como: títulos e descrição, meta-tags, estrutura de URLs, navegação, criação de conteúdo, texto alternativo, entre outros.

Baixe: Guia de SEO para Iniciantes.

Popularity: 33% [?]

Você está preparado para a Busca Universal?

Você está preparado para a Busca Universal? Ou ainda acha que só de otimização em sites se pode aparecer nos primeiros resultados do Google para sempre? Os resultados de busca no Google já não são mais os mesmos! Desde Maio de 2007 o buscador vem implantando e aprimorando a “Universal Search”, revolução no formato que os resultados das buscas são apresentados aos usuários.

O Triângulo Dourado está com os dias contados

Até pouco tempo, bastava que você tivesse um site bem otimizado para aparecer nas primeiras posições do Google e ter uma visitação ótima para as palavras-chave escolhidas. O Famoso Triângulo Dourado – que corresponde basicamente às 3 primeiras posições na página de resultados do Google –  posição privilegiada, sinal de cliques e visitação elevada.

Se estar no famoso triângulo é complicado, aparecer á direita da tela, nos links patrocinados, pode ser uma ótima solução, mesmo sabendo que a quantidade de visualização não é tão expressiva e relevante quanto estar dentro do famoso triângulo. O problema é que nesta posição, estar entre os primeiros resultados é fundamental, já que após a terceira posição a quantidade de cliques é muito pequena.

A Busca Universal e a integração com Mídias Sociais

Hoje, os usuários do Google, inclusive os brasileiros, já contam com conteúdo diversificado nos resultados de sua busca. Já é possível encontrar mapas, fotos, filmes, blogs, notícias e até trechos de código. Os resultados vêm de várias fontes, principalmente de serviços do Google, como Youtube,  Picasa, Google News, Maps entre outros.

Tomemos o caso de Hotéis. Hoje, se você buscar pela palavra Hotel, seguida de uma cidade, haverá muita chance que os primeiros resultados não exibam a página do Hotel melhor posicionado, mas sim um mapa do Google Maps, com nomes e endereços de vários hotéis daquela cidade. Quer dizer, os primeiros resultados serão dados aos hotéis cadastrados no Maps e que possuam conteúdo relevante no serviço, como Reviews, uso no My Maps e resultados na Web.

Este exemplo mostra que os resultados estão mudando, não se pode mais pensar em otimizar somente o site, mas sim, olhar para a origem dos resultados que são agregados à Busca Universal.

Sem dúvidas, quem mais ganha com a Busca Universal são os usuários, que recebem resultados de diversas fontes, muito mais relevantes ao conteúdo buscado. Porém, especialistas em SEO ficam de “cabelos em pé” já que o trabalho de otimização para um site pode ir por água abaixo devido aos conteúdos “mais relevantes” mostrados no topo da página.

Com a busca Universal, o usuário ganha conteúdo e acaba perdendo o foco no Triângulo Dourado buscando mais informações e até dando mais relevância para os links patrocinados e resultados da busca até então ignorados. Abaixo, uma imagem utilizada pelos palestrantes do Google sempre que falam sobre o potencial da Busca Universal. Note que a visualização do conteúdo se distribui pela página, inclusive aumentando consideravelmente a visualização de anúncios do Adwords.

Entre as dicas para investir na Busca Universal, estão:

  • Utilizar e otimizar ferramentas sociais para distribuir conteúdo;
  • Colocar imagens de campanhas no PicasaWeb e Flickr,
  • Hospedar vídeos institucionais ou comerciais no Youtube;
  • Distribuir Press Release, sempre com imagem, para sites que possam ser indexados no Google News;
  • Otimizar keywords em redes sociais;
  • Otimizar Keywords para os novos termos, utilizados para busca de previsão de tempo, filmes, músicas, conversão de moeda;
  • Investir em conteúdo de Blogs;
  • Sempre localizar e inserir o máximo de informações possíveis sobre a empresa no Google Maps e incentivar usuário a interagir com estes mapas.

É lógico que a Busca Universal ainda está engatinhando e aos poucos tomando força no Brasil, portanto, brincar com direito a erros e acertos pode ser lucrativo e preparar seu conteúdo para o novo modelo de busca, tão defendido pelo Google.

Embora a Busca esteja mudando, o velho conselho do Google continua sendo levado à risca e precisa ser lembrado todos os dias : “Produzir conteúdo relevante ainda é a melhor forma de ser bem indexado pelos buscadores“. O que precisa ser inovado é a forma de distribuir todo este conteúdo relevante.

Popularity: 17% [?]

Google Insights: Estatísticas de Keywords e tendências da Web

Quem trabalha com otimização de sites para buscadores ou anúncios em links patrocinados sabe do poder de uma “palavra-chave”. Bem, o Google adicionou mais uma ferramenta ao seu poderoso time de aplicações que ajudam especialista em SEO, SEM e afins: O Google Insights.

Juntamente com as ferramentas Google Trends, Google Hot Trends, Google Trends for Websites, e Google Ad Planner, o Google Insights deve facilitar a vida de quem trabalha com “palavras-chave”, já que com a ferramenta é possível medir tendências de termos durante um determinado período de tempo, região e categoria, ajudando anunciantes a descobrir o potencial de busca de palavras relacionadas ao seu negócio e verificar a sazonalidade no mercado, além de mostrar aos especialista em SEO e de terminada palavra-chave tem um valor de busca considerável.

No Insights for Search você pode ver o volume de buscas por uma palavra no Google e comparar o tráfego de busca entre dois ou mais termos. Uma das novas funcionalidades é que você pode fazer a busca dentro de categorias específicas, como esportes ou viagens. Além disso, você pode ver as palavras mais buscadas em determinado país ou região, e fazer download dos resultados em formato .csv.

Insights mostra o poder do Google

O pessoal do Google, em uma palestra, deu um ótimo exemplo de como o Insights pode ser utilizado para medir tendência e popularidade na Web. No exemplo, a comparação entre dois finalistas para o “American Idol” mostrou claramente que o campeão teve um volume grande de buscas dias antes da decisão para o ganhador ser tomada. Para ilustrar e trazer o exemplo para nossa realidade, fiz a pesquisa entre “Gyselle” e “Rafinha”, do Big Brother Brasil 2008, veja como as estatísticas favorecem muito o campeão Rafinha.

Em outra pesquisa, fiz a comparação entre Lula e Alkmin, nas eleições para presidente do Brasil, em 2006. Veja que a popularidade de Lula sempre foi superior nas buscas, mostrando que o resultado de popularidade na Web pede ter uma ligação com a vida real.

Estes exemplos mostram o poder da Web e do “depósito de desejos” que é o Google . Bem, se você quer medir outras tendências e concorrências, utilize o Google Insights e poste o resultado e seu comentário!

Visite: Google Insights for Search

Popularity: 6% [?]

Google Webmaster Tools para provedor de hospedagem

Possui ou administra um provedor de hospedagem? Sabe da importância do Google Webmaster Tools e quer disponibilizar isso de uma forma fácil aos seus clientes e, de quebra levar uma certificação do Google?

O Google acabou de abrir um programa de integração de provedores com o Google Webmaster Tools. Através de uma API, qualquer provedor de hospedagem poderá fornecer estes serviços do Google aos consumidores de uma forma integrada e sem custos. Com a integração, os provedores poderão fornecer, diretamente de seus painéis de controle, acesso às ferramentas do Webmaster Tools, permitindo ao cliente analisar e entender a indexação de suas páginas pelo Google.

Em troca do uso desta ferramenta, o Google fornece aos provedores o selo acima, selo este que o Go Daddy, um dos provedores mais conhecidos no mundo já possui por fazer parte do programa piloto, que resultou nesta nova ferramenta para provedores de hospedagem.

Para entender melhor o programa e fazer sua inscrição, visite a página Google Webmaster Tools Access Provider.

Fonte: MestreSEO

Popularity: 5% [?]